sexta-feira, 21 de março de 2014

Os ocupados e os observadores. Jogos sensoriais.

Março

Sexta feira dia 21


Hoje dia dos brinquedos de casa, não houve notícias do dia.Foram lembradas  as regras para que este dia que  tanto gostam, seja passado da melhor forma.

As sextas feiras têm-me mostrado que existem crianças com muita dificuldade em se ocupar sem intervenção do adulto. Mais nos meninos que nas meninas. Algumas crianças de imediato se aliam a outras e descobrem um mundo. Outras, sentem-se muito perdidas não se ligando nem a objetos nem a amigos. É esta barreira que pretendo ultrapassar. Quando uma criança se ocupa ela está a recriar o mundo dela, está a interessar-se por algo que é intrínseco. Quando a criança deambula pela sala sem se interessar por nada é sinal que a sua auto estima não está no "ponto", ou que existe algo que o incomoda.

No grupo de 25 crianças vemos as meninas que adoram vestir-se e despir-se com as várias caraterizações que temos na sala, alguns meninos também partilham deste interesse mas são sobretudo os "adeptos dos médicos". Temos os fãs dos puzlles, temos os modeladores de plasticina, temos os pintores, os construtores de casas e pontes, temos os informáticos que já dominam o "paint" com perícia, temos por fim os observadores que gostam de ver o que os outros fazem.

No período da tarde, voltou o adulto a dominar as atividades, fazendo jogos tatéis. Foi hoje o objeto de descoberta as formas as espessuras e o tamanho. Cada criança de olhos tapados teria que identificar a forma que tinha nas mãos, dizer se era fino ou grosso e se era grande ou pequeno.

Eis os registos:




No final perguntei ao grupo se poderíamos também descobrir a cor de olhos fechados. Os mais velhos disseram de imediato que não. 
Porquê? 
Aida -  porque não! não se sente a cor...



Sem comentários:

Publicar um comentário