quarta-feira, 20 de maio de 2015

O que é um oceano. Portugal e o oceano Atlantico. A india e o Oceano Indico.


No período da manhã o nosso Camões recitou a sua poesia. As meninas aprendem a movimentar o corpo. Viram o que era um pote e uma fonte.

No mIlagre das rosas já temos ideias para a musica, mas ainda está sujeita a ser acrescentada e produzida em faixas. Deixo aqui o que temos para que se vão familiarizando.
http://cvc.instituto-camoes.pt/aprender-portugues/ouvir/era-uma-vez-um-rei.html
Do livro que vos indico só nos interessa neste momento as musicas. Para as ouvir, vá folheando o livro ( carregando no canto inferior direito) até chegar á página onde estão versos. Primeiro os do D. Dinis e mais à frente os da rainha S. Isabel. Carregue depois nos botoezinhos em cima.

Para o Vasco da Gama e Camões vou colocar musica medieval.

Fomos fazer pesquisa sobre as naus. Falámos sobre os Oceanos. Vimos no mapa como se chama o Oceano que nos cerca, e qual o oceano que cerca a Índia.

Fizeram as crianças a representação das três naus, S. Gabriel, S. Rafael e Bérrio. Pergunte ao seu filho como se chamam os comandantes e que naus comandavam nesta viagem.






terça-feira, 19 de maio de 2015

As lendas e a representação.

Terça feira dia 18 de Maio

 Hoje a manhã foi igual ás outras, ausentei-me para consulta na segunda parte da manhã mas os grupos ficaram ocupados.
O grupo dos mais velhos fez grelhas em que escolheu objetos que representou graficamente e preencheu outro campo com a inicial do nome do objeto. 

Os mais novos fizeram num primeiro momento jogos oralmente, em que tinham que referir o som do primeiro fonema de palavras relativas a objetos que nos cercavam. Depois construiram a partir de um circulo a sua cara. Foi um processo livre orientado pela Carla.

No período da tarde fizemos a representação da lenda do Adamastor, do Milagre das rosas e do Camões.

As primeiras personagens foram voluntários e as secundárias foram sugeridas pelo adulto. Todas as crianças participaram. 

Nesta tarde estivemos a ver quantas naus levou Vasco da gama na sua viagem, quem foram os outros comandantes, como se chamavam as naus e por onde passaram.

Definimos o enleamento dos sketchs ( pequeno teatro).

Foi lido e recitado por parte do adulto a poesia para o camões, experimentaram as donzelas passear-se em frente ao Camões, fez-se uma batalha com os mouros e por fim, os lusíadas...

O milagre das rosas está em pé. Depressa as crianças apreenderam as falas.

O Adamastor vem sendo construido aos poucos. Hoje fizemos jogos de maneira a que todos aprendessem e retivessem o nome dos comandantes dos barcos  e dos barcos. mais importantes da viagem.


segunda-feira, 18 de maio de 2015

lendas da nossa história

Segunda feira dia 18


As lendas sobre O milagre das rosas, o Adamastor e  algumas facetas da vida de Camões foram hoje abordadas. Definimos alguns personagens para ir representando cada personagem nos próximos tempos. Cada passo trará curiosidade sobre cada uma das personalidades. 

Convidámos um pai para ser o Adamastor, vai ser animado!!!!!!!!!!!!!

Em breve traremos mais noticias.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

o Apanhado da semana ( terça quarta, quinta e sexta feira). natação, passeio à mata, medições e construções.


Dia 12,13,14,15 de Maio


Hoje faço um apanhado das atividades mais relevantes desta semana.

Terça feira

A natação correu muito bem para os que foram para dentro da piscina. Todos participaram nos exercícios propostos. o numero de crianças que está a largar as braçadeiras para pôr o cinto são cada vez mais. Todos estão felizes dentro de água. Alguns ainda têm receio de saltar mas não o deixam de fazer.

O período da tarde foi para acabar as tarefas iniciadas no dia anterior e para projetos individuais, deixo alguns registos destes projetos de pequenos grupo:





Quarta feira

Hoje fomos ao mercado comprar brenhol e depois seguimos para a mata.
Foi uma manhã muito agradável. Comeram primeiro e depois brincaram.
Na parte final da manhã fizemos jogos com o grande grupo. A História da semana deu até para a explorarmos ao nível do jogo e num mata. perguntem aos vossos filhos. Eis um pequeno filme. ( para o verem com ecrãm cheio carreguem no canto inferior direito).


video 

No período da tarde os mais velhos estiveram a fazer jogos relacionados com a matemática e os mais novos a acabar de ordenar as imagens que dão a sequencia da história. não disse antes que as imagens da história foram picotas e depois coloridas. A sequência foi a fase final.
Foi interessante o diálogo que as crianças tiveram a nossa confidente ( a girafa Violeta). Contaram-lhe todas as vivências, o que mais gostaram, como brincaram e até lhe explicaram as regras dos jogos ali feitos. ( Uma forma de relembrar um acontecimento vivido descrevendo todas as situações.) Deixo-vos a forma que usei para que as crianças descobrissem a multiplicação.



Organizaram os bonecos em grupos de 12 ( 1 duzia), no final tinham que referir quantas duzias fizeram e contar quantos bonecos tinham. Por exemplo 4 filas x12 bonecos. Uma criança conseguiu chegar ao calculo somando 10+10 e depois 2+2. A maioria partiu para situações mais reduzidas como por exemplo uma duzia é um par cinco vezes. duas duzias é um par 10 vezes... A forma como cada um organizou os bonecos também foi interessante. Uns muito linearmente parecendo um exercito, outros, como se fosse um circo em que faziam malabarismo
Qualquer das formaturas tinham 12 elementos.


Quinta feira 

Hoje a atividade experimental foi medir. para medirmos tivemos que arranjar o medidor. Optámos por usar uma régua. Medimos quase todos os objetos da sala que nos pareceram fáceis de fazer esta operação. Os resultados vieram assim:
A altura da mesa são duas réguas e 20 ( 20  são os cm.) Registámos numa grelha que cada um construiu.



 Aqui nesta imagem podemos ver uma mesa ( mediram a altura dos pés), O armário dos jogos, o computador, e a última não identifico.

Sexta feira 

No dia dos brinquedos de casa tudo se torna diferente. Tivemos experiências menos boas ao longo do ano, mas neste momento sinto orgulho em vê-los brincar. São criativos, brincam em grupo e vão falando mais baixo... Hoje fizemos jogos de memorização em que uma criança se oferecia para ser observaa pelos amigos e depois retirava-se. Colocava um adereço infimo e aparecia de novo. Os amigos tinham que referir o que tinha de novo. Também experimentamos o contrário, em que retirava algo que tinha consigo. Foi interessante e participativo.


segunda-feira, 11 de maio de 2015

A girafa que não tinha sono. a História e a matemática.

Segunda feira dia 11 de Maio


 A História de hoje é novamente dedicada às girafas. Hoje a nossa amiga não tinha sono.
Permitiu esta história ser explorada a dois níveis, um, a narrativa e outro a matemática.

A sequencia das ações foi uma exigência no registo. A outra foi a partir de uma situação da história. 
A girafa contava estrelas e perdia-se. Voltava a contar e perdia-se e assim sucessivamente. Foi este o ponto de partida para o jogo na sala que aqui vos deixo.
Em primeiro lugar a história para o caso de quererem recontá-la aos vossos filhos:

http://pt.slideshare.net/TatyCarla/a-girafa-sem-sono

A Conservação da quantidade independente do espaço ou tamanho:




 

Foi apresentado a todos um conjunto de tesouras em monte e pedido para as contarem com os olhos. Os mais velhos disseram um quantitativo, os mais novos outro.

Contámos depois as tesouras e mantivemos a forma ( amontoadas ). Fui buscar a mesma quantidade e contei com todos. Coloquei noutra mesa ocupando um espaço diferente. Perguntei onde havia mais tesouras e as respostas foram variadas. Uns disseram de imediato que era igual a quantidade, outros que havia mais na mesa em que estavam espalhadas porque se podia fazer um labirinto, outros  referiram as que que ocupavam mais espaço e por fim, outras crianças falaram em quantidades aliatóriamente ( aqui há 9 e aqui há 10). Foi depois pedido a pequenos grupo que organizassem as tesouras de formas variadas fazendo sempre a mesma pergunta "Onde há mais?"

No final, concluiu-se que os mais novos tinham conservado aquela quantidade independentemente do espaço, as crianças de 4 anos duas tinham conseguido de imediato à comparação correta  e a terceira ao fim de algumas experiências.

Vamos continuar a fazer descobertas...