quarta-feira, 11 de março de 2015

Prenda para os pais e lamentos

Quarta feira dia 11

 Da conversa da manhã todos adoram o pai. Houve uma criança que disse:
- A minha mãe vai ficar muito contente!
A educadora disse-lhe que a prenda era para o pai ao que a criança ripostou:
- Não faz mal, pode ser para o pai, mas a mãe também vai  ficar contente!!!.
Está bem!

Foi uma manhã sufocante.
Hoje o problema não foi das crianças mas do adulto.
Sinto que não consegui dar  resposta individualizada às crianças. Muita solicitação para recursos muito limitados. Idades muito diferentes ( nesta fase na maioria da situações, meses de diferença são notórios) capacidade de resolução muito diferentes.
Gostaria de, com cada criança,  explorar o seu potencial,  dar resposta aos seus interesses. Cada vez me sinto mais longe desta forma de estar. Sinto-me revoltada interiormente por querer fazer e não poder. Sinto que por muito que corra não encontro luz.
"Sem ovos não se fazem omeletes"dizem-me as pessoas mais próximas, mas eu tenho os ovos, o calor, a frigideira só me faltam as mãos para pôr tudo em ação!.
Desculpem os pais este desabafo. Vivemos entre dois mundos em que nos empurram de um lado para o outro como se fossemos joguetes. Uns já deram demais, outros  não têm que dar. Quem se terá lembrado de dividir uma casa a meio? Uma casa em que uns dão o pão outros decidem quem habita?
Senhores de gabinetes, burocratas que nunca entraram num jardim de Infância. Convidava-os a vir passar uns dias comigo. Sem flores à porta nem cafezinho. 
Continuarei amanhã com o registo do dia a dia dos vossos filhos.



Sem comentários:

Publicar um comentário